Steve Ditko

Ao redor dos meus vinte anos, e por diferentes motivos, passei o verão de uns três anos seguidos em Torres — a praia do RS que está mais próxima de SC, geográfica e esteticamente, pra vocês que não são aqui da região.Na condição de ser nerdoso, isso me dava bastante tempo livre: o que que eu ia fazer na praia, certo?

Shade, The Changing Man, de Steve Ditko: Dr. Ficção Científica

O que será que Steve Ditko achou do sucesso do filme do Dr. Estranho?Ainda que não exista nenhuma entrevista dele sobre o assunto [aliás, sobre qualquer assunto], e que seja possível que um cheque com a quantidade adequada de dígitos do lado de lá da vírgula influencie a opinião de qualquer um, o NEW FRONTIERSNERD tem um palpite: ele achou uma porcaria. É a conclusão à qual se chega lendo Shade, The Changing Man.

The Mocker, de Steve Ditko: Quadrinho underground objetivista

Steve Ditko é um cara com admiradores ilustres. Em In Searchof Steve Ditko, o documentário televisivo que Jonathan Ross produziu para a DC, temos uma coleção deles: o próprio Ross, Mark Millar, Joe Quesada, Neil Gaimane Alan Moore [que, aliás, usou os personagens criados por Ditko para a Charlton para escrever Watchmen]. Some Frank Miller, outro fã, à dupla final e perceba: os três quadrinistas mais importantes dos quadrinhos dos anos 80 recomendam o trabalho de um cara que… sumiu do mapa precisamente naquela década.

Os Homens-Aranha de Steve Ditko: Essential Spider-Man vol. 1 e 2

Existe um antes e depois de Steve Ditko na história do Homem-Aranha. O paradoxo só é aparente: ainda que Ditko seja o primeiro desenhista regular do personagem, ele o encontrou assim para devolvê-lo assim.As diferenças entre as duas imagens superam a PISTOLA DE TEIAS: ao contrário da primeira versão, de Jack Kirby [pelo que se diz, uma versão genérica de The Fly, personagem que o rei co-criou com Joe Simon], o Homem-Aranha de Ditko parece um adolescente escorregadio e ameaçador, não um ícone sólido e inspirador.