JIM SHOOTER E GERRY CONWAY: “CONWAY JOGOU A OPORTUNIDADE NA CARA DE STAN LEE”

* * * *
R. S. Martin riscou mais um nome da lista de supostas vítimas de Jim Shooter: Gerry Conway [o escritor da morte da Gwen Stacy]. Ele foi colocado lá por Gary Groth, no editorial da The Comics Journal #117, de 1987.

Shooter teria sido responsável por apressar a demissão de Conway na metade dos anos 70: o próprio Conway havia pedido demissão, mas planejava ficar na editora mais um mês; Shooter teria convencido Stan Lee a demiti-lo imediatamente. Tudo isso conforme uma entrevista do próprio Conway para o The Comics Journal [de 1981, edição #69].

No entanto, conforme Martin, é duvidoso que Shooter pudesse ter influído a decisão de Lee. E Lee teria motivos para demitir Conway: ele não gostava que seus escritores fossem trabalhar na DC. 

Conway, ainda por cima, não foi lá muito considerado com o Lee -- duas vezes: “Lee fez uma aposta considerável ao contratar um jovem inexperiente de 23 anos, e Conway essencialmente jogou a oportunidade na cara de Lee: ele pediu demissão do trabalho um mês depois. Ele então imediatamente usou a boa vontade de Lee de novo e negociou um contrato incrivelmente amplo de escritor-editor. Obrigava a Marvel a dar para ele oito roteiros regulares, o dobro do que qualquer outro escritor da empresa. Depois de Lee fazer esse esforço em favor de Conway, ele jogou tudo na cara de Lee de novo. Decidiu depois de seis meses romper o contrato e voltar para a DC”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: