DC UNIVERSE REBIRTH: “GEOFF JOHNS DIZ QUE A DC É MUITO TRISTE”

* * * *
DC Universe Rebirth #1, de Geoff Johns e uma pilha de desenhistas [Phil Jimenez, Ethan Van Sciver, Ivan Reis, Gary Frank] não é apenas mais um reboot-crossover-evento: é uma obra de metacrítica. Essa é a tese de Devin Faraci no Birth. Movies. Death.

Você já deve ter lido por aí que Rebirth incluiu o Dr. Manhattan na cronologia do Universo DC. A metacrítica está em como ele foi incluído: como o criador do Universo DC atual, descrito como uma coisa triste e cinza.

Spoiler?
Conforme Faraci, assim, “Geoff Johns está desenhando uma linha reta que une Watchmen aos Novos 52. Ele está dizendo que os gibis desconstrucionistas dos anos 80 envenenaram a fonte ao ponto de prejudicar o que surgiu depois”. Segue: “nunca li um gibi como esse, um que funciona como mea-culpa e como uma limpeza de continuidade e uma nova direção e como uma história emotiva sobre o quanto esses personagens importam para nós”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: