LARRY D. LIEBER: "STAN LEE ME DIZIA: VOCÊ NÃO É BOM, MAS É MELHOR QUE ESSES CARAS"

* * * *
É provável que Larry D. Lieber passe para para a história como o irmão mais novo de Stan Lee [pseudônimo de Stanley Martin Lieber]. Mas ele foi o escritor da primeira história do Thor, do Homem de Ferro e do Homem Formiga. Também foi um dos principais escritores Rawhide Kid [ficou na série por nove anos] e desenhou a tira de jornal do Hulk e ainda desenha a do Homem-Aranha. Depois do próprio Lee e de Joe Simon, deve ser o quadrinista que mais histórias escreveu para Jack Kirby


Como muitos outros quadrinistas da era inicial dos comic books, Lieber também é filho de imigrantes judeus do Leste Europeu [os seus pais são romenos, como, por exemplo, Harry Donenfeld, o proprietário da futura DC Comics]. O testemunho dele, portanto, é interessante para saber em primeira mão como era o mundo dos quadrinhos americanos no século passado -- ele não apenas estava lá, como era um bom exemplo do tipo de pessoa que estava lá. Hoje, ele faz 85 anos e eu tenho uma entrevista que ele deu para Roy Thomas, na revista Alter Ego, na manga.

Apesar de ser irmão de Lee, Lieber não conviveu com ele por muito tempo: apenas até os dez anos, quando o seu irmão foi para o exército. Na época, os dois moravam no Bronx. Depois da morte da mãe dos dois, Lieber voltaria a morar com Lee [que voltara do serviço militar] e a sua esposa, mas apenas por um pequeno período. Existe um apartamento a venda no prédio em que a família vivia quando Lieber ainda era criança, no Bronx


Na entrevista, Lieber fala bastante sobre o seu relacionamento com Lee, o editor e argumentista de suas histórias: “Stan era crítico as vezes, e ele sabia que eu não tinha escrito nada antes de começar a trabalhar para ele. Ele pensou em alguns escritores que ele conhecida do passado, testou alguns deles, alguns profissionais das antigas, e então me disse: 'o que tu faz não é bom, mas, sabe, tu é melhor que esses caras'”.

Também fala sobre Kirby -- e sobre a velocidade em que ele desenhava: “Jack era rápido, e eu estava aprendendo a escrever. Ele era tão rápido que desenhava mais rápido do que eu escrevia! Stan me dizia 'Jack precisa de outro roteiro!'. Quando eu fazia as histórias, lembro de Stan me dizendo 'Jack pode fazer cinco páginas por dia a lápis nessas histórias de monstro, não, seis páginas por dia. Quando ele faz westerns, ele só consegue fazer cinco por causa dos coldres”.  [QUADRINHOS] [MEMÓRIA]

Nenhum comentário: