HOWARD CHAYKIN: “MEU PLANO É MORRER NA MESA DE DESENHO”

* * * *
Howard Chaykin [American Flagg!, Satellite Sam] foi entrevistado por Peter Mann, na Trip Wire Magazine. Os dois repassam a carreira de Chaykin, progressivamente, com uma pequena parada para dar uns jabs em Grant Morrison.

Vamos começar pelo início. Chaykin começou a sua carreira como aprendiz de Gil Kane e Wally Wood: “fazia pequenos trabalhos para Gil, e escutava e absorvia o monólogo que ia do início ao fim do dia de trabalho. Gil era um homem com opiniões fortes, mas, ao contrário das pessoas com opiniões fortes hoje em dia, ele era muito bem informado. O ano que eu trabalhei para ele informa extremamente a minha forma de pensar, sobre o processo criativo nos quadrinhos e sobre tudo na minha vida e experiência. Gil era um homem difícil, para não falar de sua ética escorregadia, mas eu amava ele, mesmo com os seus defeitos, e sinto muito a falta dele”.

Ele odeia esse trabalho aqui, a propósito.
Wood é outro papo: “trabalhei com ele por menos de um ano. Woody se odiava tão profundamente, e era tão autodestrutivo, que quando eu conheci ele, ele era um fantasma, um eco fraco do talento arrebatador que ele era nos cinquenta e nos sessenta. Então, eu queria ser o Gil Kane quando crescesse, mas vivia com medo de acabar como Wallace Wood.

Mas eu sei que vocês vieram aqui pra ver o que ele tem pra dizer sobre Morrison: “a falta de humor com a qual o Sr. Morrison trata a si mesmo só é superada pela sua automistificação quase paródica, o que um dos meus amigos jovens disse que é a sua marca pessoal”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: