DANIEL CLOWES: “ERA MELHOR EVITAR TUDO ISSO E TENTAR FAZER TUDO NA MINHA PEQUENA SALA HERMÉTICA”

* * * *
“Meu modelo para escrever ficção é replicar a sensação de um sonho”. Você aí que leu Como Uma Luva de Veludo Moldada em Ferro já deve ter percebido isso. Mas essa foi uma das coisas que Daniel Clowes [Ghost World] falou para Jessica Gross nessa entrevista publicada no Longreads.

Clowes e Gross falam, principalmente, de Patience, novo gibi do quadrinista. Clowes comenta sobre o processo de criação de gibi. Envolve isolamento: “quando eu e minha esposa começamos a morar juntos, as vezes ela olhava para um quadrinho e dizia algo como 'ah, pensei que isso fosse a perna do cara no fundo, mas na verdade um prédio'. Alguma coisa inócua assim. Mas, imediatamente, a minha percepção inteira mudaria. Achava isso muito debilitante. Então achei que era melhor evitar tudo isso e tentar fazer tudo na minha pequena sala hermética”.

Em Patience, ainda, ele se esforçou para ser acessível: “Queria trabalhar em vários níveis, mas queria com certeza trabalhar em um nível primário de fazer uma história desfrutável onde a trama vai em um sentido e tudo encaixa. Não é algo que me seja muito fácil”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: