ZACK E DEBORAH SNYDER: “NÃO VAMOS EXPLODIR TODO O UNIVERSO SÓ PORQUE VOCÊ TEM UMA IDEIA QUE ACHA QUE É INCRÍVEL”

* * * *
Vocês lembram quando parecia que os filmes da DC não eram uma fábrica de discórdia? Aqueles tempos mágicos em que Batman vs Superman ou Esquadrão Suicida geravam expectativa, não divisão? Foi nessa época, contemporânea à estreia do primeiro desses dois filmes, que Tatiana Siegel, do The Hollywood Reporter, entrevistou Deborah e Zack Snyder. São os “guardiões do universo DC” no cinema.

Eles, evidentemente, responderam de forma negativa às perguntas mais polêmicas -- como se o filme foi remontado por pressão dos produtores da Warner, ou se a versão rated-R do DVD do filme é uma tentativa de copiar o sucesso de Deadpool

Insistiram, também, que o universo da DC no cinema será mais “filmmaker-driven”. Depois de ver Esquadrão Suicida, com aquela cara de filme que foi remontado, é um pouco engraçado. Diz Deborah: “Zack e Geoff Johns fizeram uma linha do tempo na qual todo mundo está baseado, onde nossos personagens vão para a Liga da Justiça. Então essa é a moldura. Mas queremos contratar diretores que tem um ponto de vista, porque não queremos que todos os filmes sejam o mesmo”. 


Completa Zack: “Como eu me sentiria se dissessem, 'olha só, é teu filme, mas filme ele como nós dizemos'? Não é divertido e legal. Para entender isso, existe uma narrativa maior, vamos todos apoiar ela e não explodir todo o universo porque você tem uma ideia que acha que é incrível mas que não faz sentido na grande escala”. Mais: “se você está fazendo um filme do Flash com Ezra Miller, é um Flash millennial. Vai ser um pouco mais leve que um épico da Primeira Guerra Mundial com um ícone feminista como a Mulher Maravilha”. [ETCETERA]

Nenhum comentário: