FRANK MILLER: “VOCÊ PRECISA DE ALGUÉM, MESMO QUE SEJA UM PERSONAGEM DE FICÇÃO, PARA TE DIZER QUE O MUNDO FAZ SENTIDO”

* * * *
E que tal uma entrevista com Frank Miller para fechar a semana? Ele falou com Borys Kit, do The Hollywood Reporter. Na pauta: O Cavaleiro das Trevas, a série do Demolidor, no Netflix, e a indústria do cinema -- incluindo aí o filme do Batman que ele faria em parceria com Darren Aronofsky e que foi para o espaço para dar lugar a Batman Begins, de Christopher Nolan.

Uma das coisas legais das entrevistas do Miller é que ele é direto. Por exemplo, ao ser perguntado se ele fez do Batman um fascista, ele responde: “Em O Cavaleiro das Trevas, se ele fosse qualquer coisa, seria um libertário. Os fascistas dizem para as pessoas como elas devem viver. O Batman diz para os criminosos parar”.


Já a sua resposta sobre o que faz do Batman um personagem tão bom é tipicamente milleriana: “existe alguma coisa humilhante sobre a primeira vez que você é derrubado no chão e leva um soco no estômago e alguém esfrega uma arma na sua cara e você se dá conta de que está a mercê de alguém. E que eles podem tirar a sua vida. Nesse momento, você faria qualquer coisa. Existe algo de humilhante nisso. Certo, o Super-Homem pode voar, mas o Batman me transforma naquele cara que tem medo e ao mesmo tempo é o cara que pode chegar e salvá-lo. É o mito perfeito. Ele é interessante porque acerta o mundo. E traz ordem para um mundo caótico. Especialmente se você é uma criança. Você precisa de alguém, mesmo que seja um personagem de ficção, para te dizer que o mundo faz sentido e que os caras bons podem ganhar”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: