BILL SIEKIEWICZ: “ELE É COMO UM IRMÃO”

* * * *
Boleslav William Felix Robert Sienkiewicz, ou Bill Sienkiewicz fez 58 anos ontem. O desenhista de Stray Toasters: Assassina nasceu em Blakely, na Pensilvânia, mas ainda criança se mudou com a sua família para Nova Jersey. 

No seu primeiro trabalho, Cavaleiro da Lua, o seu estilo era altamente influenciado por Neal Adams [também pudera: é o cara que conseguiu o emprego para ele]. A partir daí ele foi incorporando referências e se tornou um desenhista cujo estilo é imediatamente reconhecível. A primeira página dele em New Mutants, logo depois de desenhar Cavaleiro, já é assim:


Sienkiewicz desenhou gibis de grandes roteiristas: com Alan Moore, fez Brought to Light e Big Numbers [uma das hqs mais conhecidas da Biblioteca de Lucien]; Com Frank Miller, Elektra Assassina e Demolidor: Amor e Guerra

Nessa entrevista, conduzida por Kuljit Mithra do site Man Without Fear e originalmente publicada no ano 2000, ele falou sobre o seu trabalho com Miller no Demolidor -- que trabalhava com um método oposto ao de Moore: “eu recebia os roteiros de Frank, leia eles, ria muito o tempo todo, e fazia anotações. Ao contrário de outros escritores, que fornecem tons e detalhes de cada elemento de cada quadrinho, Frank dava uma descrição de quadrinho do tipo: 'Quadrinho 6: a reconstrução de Garrett' e lá ia eu. Depois que eu dava o meu toque retorcido, Frank algumas vezes reescrevia para incorporar o meu sotaque nas coisas, ou ele se inspirava para ir em uma direção completamente diferente. Era como Jazz. Frank e eu fazíamos um riff um para o outro. Por exemplo, Garrett, de Elekra Assassina, supostamente seria morto no final da segunda edição. Quando Frank viu o que eu fiz, ele decidiu que Garrett era visualmente bom demais para já morrer. O negócio é que a escrita de Frank me inspirava muito a aproveitar a chance, então se ele acha que conseguiu algo decente comigo, isso foi resultado de conseguir ouro dele. Frank gosta de deixar a colaboração criativa respirar. Isso é parte do seu brilho. Não posso parar de dizer coisas boas sobre ele e o seu trabalho. Ele é como um irmão”. [MEMÓRIA] [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: