O CAVALEIRO DAS TREVAS 3, DE BRIAN AZZARELLO, ANDY KUBERT, KLAUS JANSON E [POUCO] FRANK MILLER: “CONTÉM POUCOS DOS TIQUES E DETALHES QUE FIZERAM DE MILLER ALGUÉM ACLAMADO”

* * * *
Tenha Frank Miller coescrito O Cavaleiro das Trevas 3 ou não, será que ele emprestou o seu nome para algo que presta? Claro que a série ainda não acabou, então é difícil encontrar opiniões mais aprofundadas. De início, temos uma: Chris Mautner, do The Smart Set, não gostou do gibi por motivos que superam o ranço anti-Miller habitual.

Diz Mautner que o gibi é “depressivamente normal e sem graça”: “Enquanto que o Cavaleiro das Trevas tratou do crime urbano na metade dos 80 criando uma confusão futurista cheia de 'mutantes' que falavam com um uma gíria estranha (Burgess pela via de Chandler), Azzarello adota uma abordagem menos direta com alusões explícitas a Freddie Gray e Michael Brown quando Batman enfrenta policiais para proteger minorias que foram vítimas de abuso”.

Não é só: “As tentativas de espelhar a obra seminal de Miller dão tristemente errado – um spread de duas páginas mostra as reações da mídia às recentes travessuras do Batman flutuam incoerentemente contra uma cidade bizarramente photoshopada. Mas as sensibilidades únicas de Miller, no entanto, não estão em lugar nenhum”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: