HOWARD CHAYKIN, SOBRE WALLACE WOOD: “ALCOÓLATRA, AUTO-DESTRUTIVO E AMARGURADO”

* * * *
Alex Dueben, do CBR, entrevistou Larry Hama, Howard Chaykin, Paul Levitz, Gary Groth, Michael Catron, Scott Dunbier e J. David Spurlock. Todos eles tem uma coisa em comum: trabalharam com, ou com gibis de, Wallace Wood [Cannon, witzend]: os dois primeiros foram seus assistentes, Levitz nos anos 70, Groth e Catron editam os gibis dele que são publicados pela Fantagraphics atualmente, Dunbier faz o mesmo na IDW. Spurlock é o autor da biografia Wally's World e diretor do espólio de Wood. Reunir toda essa gente, portanto, só poderia ter um objetivo: falar sobre Wood.

Hama e Chaykin, que trabalharam com ele diretamente, falaram sobre a experiência. Não parece ter sido muito divertido. Diz Hama: “primeiro de tudo, ele odiava o nome 'Wally'. Todos que conheciam ele chamavam-no de 'Woody', que era o que ele preferia. Ele podia ser mal-humorado e taciturno as vezes”. 

Chaykin é mais direto: “Quando eu trabalhei com ele, Woody já era seriamente alcoólatra, uma máquina amargurada de raiva. Ele se sentava no estúdio e quase que diariamente desabafava sobre o que estava incomodando ele na hora”. Mais: “era um alcoólatra auto-destrutivo e amargurado que produziu uma obra incrivelmente consistente entre 1951 e os 60”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: