HERE, DE RICHARD MCGUIRE: “O EQUIVALENTE EM QUADRINHOS DE UMA DESCOBERTA CIENTÍFICA”

* * * *
No final de janeiro deste ano, Richard McGuire ganhou o Fauve d'Or, principal prêmio do Festival de Angoulême, com a hq Here. Originalmente publicada na Raw #2, em 6 páginas, Here conta a história de um determinado quarto... ao longo de 500 bilhões de anos. Para fazê-lo, cada quadrinho mostra uma parte da habitação em um determinado momento do tempo. Assim:



Se te lembrou Chris Ware, não é coincidência: ele foi fortemente influenciado por essa história. O prêmio foi para uma nova versão que McGuire fez para o gibi em 2014. Publicada nos EUA pela Pantheon Books, a nova edição expande a história original para 300 páginas. Luc Sante, do New York Times, tem uma resenha para você que está interessado nos detalhes.

A diferença entre Ware e McGuire é que esse é um otimista: “o passo recente é plácido. Cataclismas acontecem daqui a séculos, mas a humanidade persiste. No futuro distante, a terra recupera a sua inocência primitiva e é populada por criaturas que devem algo ao Dr. Seuss”.

Santeoct, como Ware, é um fã: “livros e filmes tem limitações ao apresentar simultaneidade pelo fato de que eles mesmos estão presos ao tempo, no desdobrar físico de suas narrativas. Os gibis e as novelas gráficas, no entanto, podem correr livres pelo espaço também. Em Here, McGuire introduz uma terceira dimensão na página plana”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: