WALTER SIMONSON: “AS PESSOAS PENSAM QUE QUEM TRABALHA COM QUADRINHOS FAZ GASPARZINHO”

* * * *
Comentei no Facebook: ontem foi aniversário de Walter Simonson. Natural do Tennessee, casado com a quadrinista Louise Simonson e conhecido pela sua fase no gibi do Thor, Simonson dividiu no início da década de 80 estúdio com Howard Chaykin e Frank Miller. Nessa entrevista [que Pete Doree, do The Bronze Age of Blogs desencavou], publicada na revista Comics Feature em 1981, os três [junto com o desaparecido Jim Sherman] contam a história.

A camaraderia entre os quatro REINA:

MILLER: Eu me mudei para cá faz poucas semanas e...
SIMONSON: ...ele já está fazendo efeitos sonoros quadrados.

São nove páginas. Chaykin e Simonson são os mais falantes. Um assunto recorrente é o trabalho extra-quadrinhos. Não é bom:

SIMONSON: Aconteceu com o Howard. Anos atrás, ele estava falando no telefone com para uma diretora de arte, mas quando ele disse que fazia quadrinhos, ela respondeu “Ah, como Gasparzinho, o fantasminha camarada?”. Lembra disso?
CHAYKIN: Sim, lembro.
SIMONSON: Daí você desligou. [Risadas] É um exemplo extremo, mas mostra como muitas pessoas pensam sobre pessoas envolvidas com quadrinhos”.

Também sobra para os quadrinhos:

SIMONSON: Para mim, os quadrinhos mainstream... quadrinhos são uma arte de jogar fora. Eles são feitos para serem lidos e jogados fora. Não tem mais pretensão que isso. Não deveria ter. O que não significa dizer que a forma não pode carregar mais peso do que isso.
MILLER: E o que nós estamos dizendo é que você pode gostar muito disso, mas não deve tratá-lo como algo que não é. [MEMÓRIA] [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: