LEN WEIN: “PENSEI MEU DEUS, ACABEI DE ABRIR MÃO DE QUATRO SÉRIES NA MARVEL PARA ESCREVER O BATMAN E VOU SER DEMITIDO”

* * * *
Dan Greenfield, o editor do 13th Dimension, entrevistou Len Wein. Wein é o criador do Wolverine e do Monstro do Pântano, certo, mas a conversa com Greenfield girou em torno de um assunto: Batman, personagem que ele escreveu a partir do final dos anos 70, criando personagens como Lucius Fox e Cara-de-Barro [as histórias foram recentemente reunidas em Tales of the Batman: Len Wein]. 

A entrevista foi publicada em suaves prestações: foram SETE postagens, publicadas ao longo de SEIS meses. Não é a primeira vez que ele faz isso: já tinha acontecido com Michael Allred e a Dennis O'Neil.

Na primeira, ele fala sobre as suas primeiras história com o personagem e como ele se tornou um dos editores de Batman: The Animated Series. Na segunda, sobre o momento no qual ele se tornou escritor regular do personagem -- logo depois da fase Steve Englehart/Marshall Rogers.

PÁREO DURÍSSIMO


De fato, foi Wein que escreveu as duas últimas edições de Rogers. E ele é meio que responsável pela saída do desenhista do título: “recebi uma ligação de Joe Orlando, que era coordenador editorial na época. Ele me disse: 'acabei de conversar com Marshall Rogers sobre a série e ele disse que não está feliz com os teus roteiros. Você não escreve como Steve e ele não está feliz com o seu estilo'. Aí eu pensei, meu Deus, acabei de abrir mão de quatro séries na Marvel e vou ser demitido da série que me trouxe para a DC. Mas a próxima coisa que Joe disse foi 'então quem você quer para o lugar de Marshall?'”.

Na terceira parte, ele falou sobre Lucius Fox e Duas-Caras -- Wein foi o primeiro escritor a fazer uma história em duas partes com o personagem [“eu morava em um apartamento no Upper West Side de Nova Iorque, na 78ª com a Broadway, e quando eu terminei a segunda historia olhei para o relógio e era... 2:22”].

A quarta parte foi dedicada a vários vilões do Batman. Também sobre escrever a última história do Sargento Rock [desenhada por Joe Kubert e publicada em DC Universe: Legacies #4. Spoiler: ele morre, baleado pela última bala disparada na Segunda Guerra Mundial, idéia de Bob Kanigher]. A quinta foi sobre o relacionamento entre o Batman e a Mulher-Gato: Wein é em grande parte responsável pela atual tensão romântica entre os dois [parte do esforço do escritor em dar importância para Bruce Wayne dentro das histórias do Batman]. 

Na sexta, Wein fala sobre a sua história favorita do personagem: o crossover Batman/Hulk, desenhado por José Luis García López. E na última, sobre The Untold Legend of the Batman, a primeira minissérie dos gibis de super-heróis [desenhada por John Byrne e Jim Aparo]. Sobra uma bordoada para a fase de Grant Morrison: “li ela até onde pude entender”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: