KEVIN O'NEILL: “JIM LEE INTERCEDEU POR NÓS”

* * * *
Kevin O’Neill, “um autêntico cavalheiro inglês” e desenhista de The League of Extraordinary Gentlemen, foi entrevistado por Pedro Monje, do Zona Negativa.

Claro que O'Neill fala dos Cavalheiros Extraordinários [“pode não parecer, mas nos inspiramos muito na revista Mad dos anos cinquenta e sessenta para fazer as nossas histórias”], do filme-bomba [“compraram os direitos antes que o gibi fosse publicado. Por isso que o filme não tem nada uqe ver com o gibi”] e sobre os famosos roteiros de Alan Moore [“são maiores que uma lista telefônica. Não estou exagerando”], mas achei mais interessante as partes sobre os bastidores editoriais.

Por exemplo, sobre o surgimento da 2000AD: “tinha trabalhado para uma revista de pôsters de terror e tinha gostado disso. Assim que mostrei isso para Pat Mills para tentar conseguir um trabalho na 2000AD. Neles, eu tentava imitar humor com horror e aventura. E era isso que Pat Mills procurava para a nova revista. Isso foram os primeiros passos da 2000AD. Comédia negra”.

Ou sobre a venda da Wildstorm [estúdio de Jim Lee que englobava o selo ABC de Moore] para a DC: “a primeira coisa que eu pensei é que esse era o fim do caminho para a Liga. Mas Jim Lee [e Scott Dunbier] pegaram pessoalmente um avião e viajaram até a Inglaterra para visitar a nós dois. Alan aceitou continuar trabalhando com uma condição muito clara, a existência de um 'firewall' entre eles e a DC. Todos os pagamentos continuaram vindo da Wildstorm. Mas chegou um momento em que começaram pressões sobre Alan, como a história de Cobweb que foi recusada. Passou horas no telefone com as pessoas do departamento legal. Que posso dizer de Black Dossier? Quase não foi publicado. Mas apareceu Jim Lee, que sempre apostou por nós, e intercedeu”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: