GARY PANTER: "POSSO TER CONECTADO COM OUTRA REALIDADE QUE ESTAVA DE ALGUMA FORMA ACESSÍVEL"

* * * *
Na Darling Sleeper, J. T. Dockery entrevistou Gary Panter [Dal Tokyo]. A pauta foi bem específica: apenas e tão somente Philip K. Dick, o escritor de ficção científica.

Não é tão aleatório quanto pode parecer: P. K. Dick manteve conversas com Art Spiegelman sobre colaborar em um gibi [que, no fim, não saiu]; Robert Crumb levou um projeto parecido adiante, escrevendo uma hq sobre as experiências religiosas de Dick. Por outro lado, Panter entrevistou o escritor em 1980 para um zine punk de Los Angeles, o SLASH.

O que Panter tirou disso? Uma bad trip de ácido -- ou talvez uma explicação para o significado dela: “uma das minhas experiências ruins com ácido persistiu jogando no meu caminho coisas ruins, me dando a terrível impressão que eu tinha visto o meu próprio futuro. De alguma forma, acho que isso ainda é verdade. Não tenho problemas em acreditar que o que Phil disse era verdade para ele, e que eu posso ter me conectado com uma outra realidade que estava de alguma forma acessível – outros caminhos, caminhos possíveis, inevitabilidades. A minha profunda imersão com o Cristianismo fundamentalista primitivo, com o que eu sempre tive problemas, foi uma armação ou um gatilho para a minha confusão com o ácido ou a ruptura com o tempo ou doença mental, embora eu não me sinta doente”.  [QUADRINHOS] [ETCETERA]

Nenhum comentário: