ED BRUBAKER: "NÃO LIA GIBIS DE SUPER-HERÓIS HÁ DEZ ANOS. E DAÍ ELES ME DERAM O BATMAN PARA ESCREVER"

* * * *
Ed Brubaker [Fatale, The Fade Out] foi entrevistado por Chris Sims, do Comics Alliance. A pauta foi específica: os tempos que ele passou escrevendo series da bat-família. Se estendeu por três partes.

Na primeira delas, Brubaker fala sobre Gotham Noir, seu primeiro trabalho com o personagem [desenhada por Sean Phillips e Dave Stewart: taí uma combinação sem margem para o erro, Batman+Noir+Brubaker+Phillips], Batman [desenhos de Scott McDaniel], Detective Comics e Gotham Central [alternando roteiros com Greg Rucka, desenhada por Michael Lark]. Emparelhar Brubaker com McDaniel não parece uma idéia genial... e resulta que não foi mesmo: “escrevia paginas com sete quadrinhos, pessoas de pé e conversando, com alguma cena de ação. Mas Scott McDaniel estava mais por paginas duplas e movimentação constante, então achei que nós não tínhamos afinidade nas historias que queríamos contar”.

Por outro lado, Zeiss, o vilão da série, foi “muito influenciado por Warren Ellis”: “fazia dez anos que não lia super-heróis. Então fui na Comic Experience e perguntei para um cara 'o que esta acontecendo agora mesmo nos gibis de super-heróis que seja bom e interessante?' e ele disse 'Você já leu Planetary e The Authority?' e me deu um monte de coisas de Warren Ellis, foi minha primeira exposição ao Warren”.

Na segunda parte, Detective Comics e Gotham Central seguíram na pauta. Também conversam sobre Batman: The Man Who Laughs [com Doug Mahnke]. Brubaker definiu esse gibi como “uma tentativa de criar uma ponte entre Ano Um e A Piada Mortal”. E disse que Gotham Central tinha respaldo de peso: “Dan DiDio adorava a série e disse que ela nunca seria cancelada”. O problema foi que “eles não sabiam como vendê-la”.

A terceira parte foi só sobre Catwoman, a revitalização da Mulher-Gato que Brubaker promoveu em parceria com Darwyn Cooke e Cameron Stewart. Envolveu ressuscitar Holly, a sua “sidekick” de Ano Um, e seguir uma dica de Frank Miller: “Encontrei com ele nessa época, e comentei o que estava fazendo em Catwoman, e como eu queria trazer a Holly de volta e ele disse 'você sabe que ela é gay, certo?'”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: