AS TIRAS DE JORNAL DA MULHER MARAVILHA, DE WILLIAM MOULTON MARSTON E H. G. PETER: "A DESCRIÇÃO DOS ITENS MOSTRA QUE MARSTON ERA UM CONNOISSEUR DE BONDAGE"

* * * *
Tim Hanley, o escritor de Wonder Woman Unbound: The Curious History of the World’s Most Famous Heroine, resenhou Wonder Woman: The Complete Newspaper Strip, o encadernado com as tiras diárias da personagem publicadas entre 1943 e 1944 [dois anos depois de sua criação], escritas por William Moulton Marston e desenhadas por H. G. Peter. A resenha saiu no The Comics Journal.

Hanley explica que, assim como o gibi, as tiras de jornal também tinham o objetivo de “espalhar a mensagem” da superioridade feminina. Só que de forma ainda menos sutil: as cenas de bondage também são mais "especificas" e o papel de Afrodite, maior -- “a teoria matriarcal de Marston se firmava na sua crença de que as mulheres são inerentemente mais amorosas que os homens, motivo pelo qual estariam mais preparadas para liderar a sociedade, e o papel da deusa do amor como uma deusa-chefe das avançadas amazonas era uma metáfora chave que tinha mais ênfase nos quadrinhos". 


A principal diferença, no entanto, está no tom: as tiras tinham histórias “mais realistas, sem tramas rebuscadas ou vilões coloridos”, talvez devido a uma “mudança no público”: “jornais tem uma audiência maior e mais diversificada” que os gibis da época, destinados a crianças. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: