ALAN MOORE: "O SÉCULO XXI MERECE ALGO QUE SEJA SEU"

* * * *
Em novembro de 2013, Lance Parkin, de Magic Words: The Extraordinary Life of Alan Moore, recebeu o próprio Moore no Cinema Prince Charles, em Londres, para uma palestra -- Magic Words: An Evening with Alan Moore. Uma semana depois, o Pop Culture Hound colocou a gravação do evento no ar. Um ano depois, Pádraig Ó Méalóid transcreveu a conversa inteira [ela é longa] no seu próprio blogue, o Slovobooks.

Dá para dividi-la em quatro partes. Na primeira, um Moore que trata a sua fama de ranzinza com basntante bom humor e ironia, conversa com Parkin sobre a sua carreira, inclusive sobre como a sua obra se tornou cada vez mais autobiográfica [“quando eu estava fazendo Big Numbers me dei conta que tinha muito mais interesse em Northampton do que na maioria dos outros lugares, inclusive os imaginários sobre os quais eu estava escrevendo”] e pelo menos uma de suas [então] recentes polêmicas.

Especificamente sobre os seus gibis de super-heróis dos anos 80, Moore esclareceu que não os renega -- apenas não gosta mais de pensar neles: “todo aquele trabalho, por mais que eu tenha gostado dele na época, por mais que tenha me empolgado, meio que... existem muitas lembranças negativas ligadas a cada um desses projetos”.

Ainda dá tempo de falar sobre Jerusalém, o seu novo livro [que a Companhia das Letras vai lançar no Brasil] e o papel da magia  na sua vida: “não consigo separar a minha vida do meu trabalho, e certamente não consigo, de verdade, separar nenhuma dessas coisas da magia”.

Depois, Parkin e Moore recebem a companhia de Kevin O’Neill [que colaborou com Moore na Liga dos Cavaleiros Extraordinários] e Melinda Gebbie [Lost Girls]. Os dois falam sobre como é trabalhar com Moore. Sobre Lost Girls, Parkin comenta como esse é o gibi que trouxe “respeitabilidade” para Moore, o que não lhe passou desapercebido: “Sim! Nós pensamos ‘porque eles não nos enforcaram?’, quero dizer, o que há de errado com a sociedade? Para que pagamos nossos impostos?”.

Na sequência, Gebbie e O’Neil são substituídos por Mitch Jenkins, and Siobhan Hewlett, and Robert Goodman, parceiros de Moore em Jimmy’s End -- Act of Faith, prelúdio de 15 minutos  Jimmy’s End é exibido para o público. No final, Moore ainda responde a perguntas da audiência. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: