SATOSHI KON: “DIZEM QUE A ANIMAÇÃO TEM UM POTENCIAL INFINITO, MAS TAMBÉM DIZEM ‘ISSO NÃO SERVE PARA A ANIMAÇÃO’!”

* * * *
Satoshi Kon [Perfect Blue, Tokyo Godfathers] poderia alcançar o patamar de Osamu Tezuka e Hayao Miyazaki se não tivesse morrido precocemente. É a tese de Antonio Lee Desu nesse BAITA artigo publicado na coluna Otakismo, do site Chuva de Nanquim, talvez um dos melhores sobre nerdismo japa que já linkei por aqui.

No texto, Lee enumera as principais características da obra de Kon e ainda comenta filme por filme -- além dos já citados Perfect Blue, de 1997 [“Cisne Negro”, o filme de Darren Aronofsky, é uma versão “real e ocidental de Perfect Blue, de um diretor fã confesso de Satoshi Kon”] e Tokyo Godfathers [de 2003], Millennium Actress [2001], Paprika [2006, “um dos filmes que inspirou Nolan em Inception”], Paranoia Agent [13 episódios produzidos entre os dois últimos filmes] e a incompleta Dreaming Machine[ETCETERA]

Nenhum comentário: