FRANK MILLER: “PARTE DO PROPÓSITO DA ARTE É PROVOCAR”

* * * *
E teve um pouco mais de Frank Miller no New York Times. Dave Itzkoff, ainda com o gancho de Sin City: A Dama Fatal, conversou com o próprio Miller e com Robert Rodriguez, Brian Michael Bendis, Heidi MacDonald [a editora do Comics Beat] e Diana Schutz para escrever outro perfil

Miller se definiu como um provocador: “parte do propósito da arte é provocar. E parte do meu trabalho é acordar as pessoas”. Também desmentiu algumas coisas: “a raiva que as pessoas esperam de mim não está lá”, “Holy Terror não pretende ser justo ou equilibrado e não reflete a minha opinião política”, “as pessoas que concluem que eu sou um reclamão recluso estão erradas”. Uma coisa, no entanto, não desmentiu: aparentemente o próprio reconhece que The Spirit é uma porcaria: “existem um milhão de coisas que podem dar erraado em um filme, e você precisa acertar todas elas”. [QUADRINHOS] 

Nenhum comentário: