O EXPRESSO DO AMANHÃ DE BONG JOON-HO: GEORGE ROMERO COREANO

* * * *
J. Hoberman, do New York Review of Books, resenhou O Expresso do Amanhã, novo filme de  Bong Joon-Ho [O Hospedeiro], protagonizado por Chris Evans [Capitão América: O Soldado Invernal] e adaptado de Le Transperceneige, de Jacques Lob e Jean-Marc Rochette -- “o filme pop mais abertamente de esquerda desde V de Vingança”.

Na trama [ou não: diz Hoberman que o filme “não tem uma trama, mas uma premissa -- ou melhor, uma metáfora”], que só tirou o seu conceito do gibi [“Bong e Kelly Masterson mantiveram apenas a premissa, livremente acrescentando novos personagens e incidentes”], Evans lidera a classe operária de um trem eternamente em funcionamento, o último refúgio da humanidade após um desastre ambiental, contra os moradores dos primeiros vagões -- as zelite. 

Conforme Hoberman, apesar do programa político, O Expresso do Amanhã não deixa de ser um filme de ação: Bong [“um ex-ativista estudantil que já foi associado com diversos pequenos partidos de esquerda, é um populista anti-autoritário com um forte sentido para o absurdo”] é uma versão coreana dos “menos respeitáveis americanos praticantes dos filmes baratos de sociologia espertinha como Joe Dante, George Romero e Larry Cohen”. [ETCETERA]

Nenhum comentário: