JEAN-PATRICK MANCHETTE, O RAYMOND CHANDLER FRANCÊS

* * * *
Além dos gibis de guerra, Jacques Tardi também é conhecido pelas suas adaptações para os quadrinhos dos livros policiais do escritor francês Jean-Patrick Manchette. A Fantagraphics está publicando elas nos EUA: depois de Le petit bleu de la côte ouest [rebatizado de West Coast Blues] e La Position du tireur couché [Like a Sniper Lining Up His Shot], chegou a vez de Ô Dingos! Ô Châteaux!, ou Run Like Crazy Run Like Hell. James Sallis, do New York Review of Books, aproveitou a oportunidade para nos dar coordenadas sobre a obra de Manchette.

De cara, Sallis trata Manchette [que morreu de forma precoce em 1995, aos 53 anos] como um Dashiell Hammett/Raymond Chandler francês: responsável por revitalizar o gênero na França [onde é conhecido como polar, abreviatura para romance policial], as suas histórias são cheias de “indivíduos negados, pedras desencaixadas na parede da sociedade, que vai se derrubar com o primeiro golpe” e de elementos “essencialmente franceses”, como “a sua posição política, a superfície estilística dura de sua prosa, o uso de uma forma de arte ‘baixa’ ou popular para encarnar idéias abstratas”. [QUADRINHOS] 

Nenhum comentário: