ART SPIEGELMAN: “EXIJO UM EXAME DE DNA”

* * * *
“Me chamaram de o pai da graphic novel. Mas estou aqui para exigir um exame de DNA”. É assim que Art Spiegelman apresentou o seu novo stage show, Wordless!, criado em parceria com o compositor Phillip Johnston e apresentado no Logan Center for the Arts da Universidade de Chicago. Eu sei porque Harry Backlund, da Paris Review, esteve lá e voltou com um resumo.

Em Wordless!, explicou Backlund, Spielgman junta “as suas reflexões sobre a história das narrativas sem palavras com projeções de slides de obras clássicas do gênero”, acompanhadas pelo “vaudeville jazz” de Johnston e o seu sexteto de músicos. As reflexões: “as histórias contadas através de figuras nos pedem para ver significados em abstrações, usando os dois lados do cérebro”; logo, “gibis copiam a forma na qual o cérebro funciona, e, portanto, podem explorar os mistérios da Arte com A maiúsculo”; e reconhecê-los como uma forma de alta literatura permite “uma revisão de sua história como baixa cultura, e é aí que as narrativas sem palavras entram”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: