GODZILLA VERSUS BIOLLANTE: “SÓBRIO E INTELIGENTE”; GODZILLA FINAL WARS: “PASTELÃO APOCALÍPTICO”

* * * *
Aproveitando o gancho do novo filme bacana do nosso monstrengo destruidor de Tóquio favorito, Alexandre Nagado, no Sushi POP, resenhou dois dos filmes favoritos do Godzilla, o Rei nos Monstros: Godzilla versus Biollante [de 1989, o Biollante é essa mistura de jacaré e floresta desenhada pelo Rob Liefeld no cabeçalho do post, uma obra] e Godzilla Final Wars [2004]. São dois representantes de escolas de MONSTRISMO DESTRUIDOR diferentes.

Godzilla versus Biollante, dirigido e roteirizado por Kazuki Omori, é um reboot comemorativo de trinta anos do início da franquia, retomando “o conceito de fera destruidora, uma força da natureza”: “produção esmerada, grandes tomadas de cena e um clima grandioso que só se encontra nos filmes de Godzilla”. Já Godzilla Final Wars, de Ryuhei Kitamura, é uma “O que se vê é uma orgia de destruição, com efeitos especiais bacanas [bom, nem todos], resgatando o Godzilla meio heróico dos anos 1970”: “imagens poderosas, direção frenética e uma aura trash”. [ETCETERA]

Nenhum comentário: