CHRIS WARE: "UM ABSURDO E UMA PERDA DE TEMPO"

* * * *
Chris Ware foi entrevistado por Begoña Gómez Urzaiz, do El País. Na pauta: Building Stories, desesperança [“a felicidade é sobrevalorizada”] e crises de pânico [“estava convencido de que o objetivo era absurdo e uma perda de tempo. Não conseguia cumprir as metas. Essa debe ser a experiência de todos os escritores. Acho que tenho que aprender a viver com o desespero”].

Além do terror existencial etc., Ware também comentou a influência de James Joyce na sua obra e a sua “capacidade de criar imagens usando páginas e páginas de letras incompreensíveis”: “você pode ler uma longa passagem de Ulisses e não saber o que está acontecendo, mas, de alguma forma, uma série de imagens e sensações acabam se depositando na tua mente”. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: