RYOICHI IKEGAMI: “O NEAL ADAMS DOS MANGÁS”

* * * *
Ryoichi Ikegami foi rapidamente biografado por Alexandre Nagado, do SushiPOP. Hiper-realista, cinematográfico e fã de Neal Adams, foi um dos primeiros desenhistas de mangá adulto a ser lançado no ocidente, e um dos que se tornou mais conhecido.

Nagado descreveu a carreira de Ikegami, que começou como assistente do “lendário autor Shigeru Mizuki”, com um olho na sua publicação no Brasil -- Mai – A Garota Sensitiva, com roteiros de Kazuya Kudo, foi lançado pela Abril no início da década de 90 [“uma obra de Ikegami sem grande repercussão em seu país que também havia sido lançada antes nos EUA e Europa”, que quase chegou ao cinema pelas mãos de Tim Burton], Homem-Aranha Mangá foi lançado em 1998 pela Mythos, e, mais recentemente, Sanctuary saiu pela Conrad [com roteiros de Sho Fumimura, o Buronson de Hokuto no Ken e seu atual parceiro em Ha~Lord] e Crying Freeman, pela Panini. [QUADRINHOS]

Nenhum comentário: