JOHN ROMITA JR: “NÃO TENHO VERGONHA EM ADMITIR ISSO”

* * * *
Mais Lightbox, a seção do CBR dedicada a entrevistas mais centradas no trabalho e na carreira do que na atualidade de quadrinistas famosos [o "mais" é porque aqui já linkei outra entrevista com Jae Lee. Agora, Alex Dueben conversou com John Romita Jr., recém chegado à DC para desenhar Superman [com roteiros de Geoff Johns].

Romita fala sobre os seus inícios na indústria [“tentava trabalhar ao máximo para conseguir pagar as contas, o que me levou a uma boa ética de trabalho”], a influência de  seu pai, John Romita Sr., como se relaciona com os escritores [já trabalhou com Neil Gaiman, John Byrne e Mark Millar], a importância de Jim Shooter para o seu desenvolvimento como narrador -- mas, principalmente, sobre design de personagens.

Sobre isso, Romita diz que o seu método normalmente consiste em “partir pra cima das revistas de moda. Procuro as coisas mais exageradas e vejo se consigo encontrar alguma coisa que pode ser relacionada à moda e relativamente popular para transformá-la em algo relativamente super-heróico”. O exemplo do método em funcionamento: Dazzler. Do contrário: o Duende Macabro, “uma simples cópia descarada do Duende Verde. Não tenho vergonha em admiti-lo”. [NFN DIÁRIO]

Nenhum comentário: