2001, UMA ODISSÉIA NO ESPAÇO, DE JACK KIRBY: “UM CHOQUE DE ELETRICIDADE AO ESTÁTICO FILME DE KUBRICK”

* * * *
Em 1976, Jack Kirby escreveu e desenhou uma adaptação para os quadrinhos, em formato tabloide, de 2001, Uma Odisseia no Espaço -- uma versão que é um meio termo entre o filme de Stanley Kubrick e o livro de Arthur C. Clarke. A essa edição especial seguiu uma série de dez edições meio esquizofrênicas. Noel Murray, no The Dissolve, leu, resenhou e comparou tudo isso com o filme.

Foi uma tentativa da Marvel de tentar acompanhar o fandom dos quadrinhos na segunda metade dos anos 70, mais organizado e com interesses que caminham na direção de espectros mais sofisticados do nerdismo. O timing não foi dos melhores e a revista nasceu datada: o seu lançamento ocorreu 8 anos após a estreia do filme e meses antes da redefinição do gênero de ficção científica pelo lançamento de Guerra nas Estrelas e da revista Heavy Metal nos EUA.

Diz Murray que o resultado é BELO [“dá ao de certa forma estático filme de Kubrick um choque de eletricidade”], mas ESQUIZOFRÊNICO: “no que se refere das palavras, o gibi falha -- também de forma espetacular”. O problema é que Kirby “explica e exclama ao longo do gibi, acrescentando diálogos onde eles não são necessários e narrando cada momento com o jeito explicativo de um livro de introdução de história para alunos do ensino básico”. [NFN DIÁRIO] 

Nenhum comentário: