ALAN MOORE, SOBRE MIRACLEMAN: "FOI ASSIM QUE O NEGÓCIO FOI PRO ESPAÇO"

* * * *
Você deve ter lido por aí que a Marvel vai republicar, a partir do início do ano que vem, o Miracleman [+] de Alan Moore [+] e Neil Gaiman [+]. Pausa para comemoração: \o/\o/. Pádraig Ó Méalóid, o nosso especialista em Alan Moore favorito, aproveitou e republicou no The Comics Beat uma entrevista que fez por telefone com o próprio Moore em outubro de 2010, dividida em três partes [um, dois, três].

A entrevista apareceu originalmente no livro Poisoned Chalice -- a tentativa de Méalóid de explicar o embrulho legal que envolvia o personagem e as suas histórias. Os problemas legais, portanto, são o seu foco principal. No que se refere ao aspecto criativo, Moore comentou sobre a origem da ideia [a leitura de Superduperman, a clássica sátira aos super-heróis publicada na Mad [+], escrita por Harvey Kurtzman [+] e desenhada por Wally Wood [+]] e sobre o final de sua participação na série.

Foi tudo graças a uma divergência entre Moore e Dez Skinn, editor da Warrior na época: “Dez fabricou esse problema desnecessariamente, onde ele me pediu pra fazer mudanças, e então disse 'bom, se você puder fazer uma mudança, só para que eu não fique mal', e então eu disse não, não estava disposto a fazer mudança nenhuma. E foi assim que o negócio foi pro espaço”. [NFN DIÁRIO]

Nenhum comentário: