SUPER-HOMEM: MESSIÂNICO, PLATÔNICO, PARÂMETRO

* * * *
É um ano REPLETO para o Super-Homem: temos filme, O Homem de Aço [de Zack Snyder [+] e Christopher Nolan [+], mas tenho certeza que você já sabe disso] e temos aniversário, 75 anos da Action Comics #1. Bom TIMING, portanto, para ler esse artigo de Tim Martin, no The Telegraph, sobre o personagem.

Martin TRAÇA uma TRAJETÓRIA EVOLUTIVA para o personagem: de defensor do "little guy", relativamente TERRENO e de poderes limitados, mistura de diversos heróis pulp e fantasia de PODER em uma "era de maquinárias e armamentos opressivos", a "alienígena beneficente semi-divino", um conceito que "paira, inexpugnável, no reino platônico das ideias".

Em busca de uma JUSTIFICATIVA para o APELO do personagem, Martin comenta a TESE MITO JUDEU [indícios: o livro de Larry Tye [+], Superman: The High-Flying History of America's Most Enduring Hero [+]; os paralelos com a história de Moisés; o nome de CUNHO HEBREU, Kal-El], a VERSÃO CRISTÃ [especialmente no filme de 1978, com Marlon Brandon anunciando o envio de seu "único filho" à Terra] e a MORRISIAN [em Supergods, Martin explica que Grant Morrison [+] defende que "o frenesi por super-heróis" corresponde a uma "necessidade cultural específica": "olhamos para os super-heróis" em busca de "orientação para abordar o nosso alcance ampliado, do aprimoramento biomédico aos exércitos de robôs voadores"]. [NFN DIÁRIO]

                  

Nenhum comentário: