O LANTERNA VERDE DE GEOFF JOHNS: “NINGUÉM SE IMPORTAVA COM HAL JORDAN, ALÉM DE SUA RUIDOSA BASE DE FÃS”

* * * * 
Geoff Johns [+], depois de nove anos, deixou de ser o escritor titular da série principal do Lanterna Verde. Seguiram-se lágrimas, ranger de dentes e ANÁLISES.

Depois daquela de Oliver Sava, do AV Club, temos essa, de Pedro Monje, do Zona Negativa, primeira parte de uma série de três artigos dedicados ao tema, dedicado ao lugar nebuloso em que o personagem estava quando Johns passou a escrevê-lo, complementado com um listado de todos os gibis que aquele escreveu sobre o personagem.

No primeiro tópico, Monje tece considerações pertinentes à fase Dennis O'Neil/Neal Adams [+] ["aceitação fraca no início dos anos setenta, até o ponto de que as vendas não acompanhavam a série (além do que, Neal Adams não conseguia entregar em tempo) e ela teve que ser cancelada"], ao desenvolvimento do personagem até a Crise nas Infinitas Terras [+] ["Ninguém se importava com Hal Jordan, excepto a sua ruidosa base de fãs"], a sua origem pós-Crise [Esmerald Dawn, escrita por Gerard Jones, Keith Giffen [+] e Christopher Priest, então usando o nome de Jim Owsley, três anos depois do evento] até chegar à série escrita por Gerard Jones e desenhada por Pat Broderick [que depois trabalhou no universo 2099 da Marvel] no início dos anos 90.

E isso nem foi o calvário do personagem. Depois do sucesso da Morte do Super-Homem e da Queda do Morcego, Kevin Dooley, editor do Lanterna Verde, ligou para Ron Marz e pronunciou a palavra "desfazer-se" em referência aos "Corps, aos Guardiões, e a Hal Jordan",  que foi transformado em uma espécie de Anakin Skywalker do anel verde. Entra Kyle Rayner, Hal Jordan morre, se redime, morre e vira o Espectro [em uma série escrita pelo próprio Johns, então iniciante].

Não parece nada fácil, mas deu certo: "omnipresença de Hal Jordan como Espectro era mais numerosa e importante do que na época em que ele tinha a sua própria série". E aí entrou Geoff Johns em definitiva, com o CONSENSUAL Green Lantern: Rebirth, de 2004, uma “epopeia cósmica made in DC” e a recuperação do personagem.


                  

Nenhum comentário: