DEPOIS DA TERRA, DE M. NIGHT SHYAMALAN: AINDA NÃO












* * * *
M. Night Shyamalan é um ÍCARO moderno: depois de alcançar FAMA E FORTUNA com uma sequência de três OBRAS, Sexto Sentido, Corpo Fechado e Sinais, fez o TRANSITÓRIO A Vila [recepção dividida, fica a teu critério saber em que lado da CURVA o filme está], chegou à capa da Cahiers du Cinema [que passa por TOCAR NO SOL] e... bom, acompanhe a EVOLUÇÃO da avaliação dos filmes no Rotten Tomatoes e no Metacritic comigo:

Sexto Sentido [1999]: 85% e 64
Corpo Fechado [2000]: 68% e 62
Sinais [2002]: 74% e 59
A Vila [2004]: 43% e 44
A Dama na Água [2006]: 24% e 36 [só a própria Cahiers du Cinema gostou desse filme]
Fim dos Tempos [2008]: 17% e 34
O Último Mestre do Ar [2010]: 6% e 20

Representação gráfica.

O novo capítulo dessa TRAGÉDIA é Depois da Terra, protagonizado por Will Smith e seu filho, Jaden Smith. A trama pode ser muito bem resumida assim: mil anos depois da humanidade ser forçada a abandonar a Terra, os protagonistas voltam para cá para uma espécie de PASSEIO DOMINICAL que dá errado. Já a recepção crítica pode ser resumida assim: não há redenção. Depois da Terra foi SURRADO.

Talvez seja o motivo pelo qual Jaden Smith
parece sempre prestes a chorar...
Richard Roeper, do Chicago Sun-Times, considerou o filme um dos piores de 2013: "Aparentemente, reciclar ainda é moda no futuro. Existe poucas coisas" no filme "que não foram feitas antes, e de forma melhor". Mais? "Depois da Terra é um 'thriller' de ficção científica formuláico, às vezes arrastado e às vezes involuntariamente engraçado, dirigido com pouca imaginação".

Não disse?
Betsy Sharkey, do Los Angeles Times, disse que é irônico que o filme comece com um DESASTRE: "se você ainda está se perguntando se o filme é um desastre, a questão não é essa, a questão é: o quão grande?".

Um dos poucos a dizer ALGO NÃO RUIM sobre o filme foi Ignatiy Vishnevetsky, do AV Club [naquelas: nota C+]: destacando a participação Peter Suschitzky, colaborador habitual de David Cronenberg e diretor de fotografia de O Império Contra-Ataca, Vishnevetsky falou que "Depois da Terra parece mais uma homenagem elaborada a Werner Herzog [+] do que um filme de ficção científica de grande orçamento".

Outro APPROACH, no entanto, é possível: Ryan Nakashima, do Huffington Post, escreveu um artigo sobre o lado TÉCNICO do filme. O tchã-nã-nã é que o filme foi gravado em 4K, uma espécie de HIPER HD: enquanto a resolução 1080p tem 1080 pixels de altura e 1920 de largura, e a 2k, 2048 de largura, a 4k tem 4096 pixels de altura e 2160 de altura -- 8,8 milhões no total, contra os dois milhões da alta-definição. O seu uso, tudo conforme Nakashima  é de grande interesse para a Sony, produtora do filme e fabricante de câmeras [como a F65, usada em Depois da Terra], projetores, televisões e players 4K.

Só que... também não. 


Primeiro, você teria que checar se o cinema aí do lado da tua casa tem o projetor adequado. Segundo, Nakashima comentou que, graças à tecnologia, conseguiu ver as "sardas" e "imperfeições de pele" de Will Smith, um acréscimo brutal à sua experiência cinematográfica [né]. 

E terceiro, mais resolução significa maior processamento de dados e mais dinheiro para efeitos especiais: "o custo e o tempo para lidar com a informação visual extra significa que a maior parte das cenas com efeitos especiais de Depois da Terra, um terço de todas as cenas do filme, foram na verdade feitas com uma versão resolução baixa de HD". [NFN 100MG]

Nenhum comentário: