DE SECRET AGENT X-9, DE ALEX RAYMOND E DANIEL HAMMETT, A GHOST WORLD, DE DANIEL CLOWES

* * * *
Nicolas Labarre, no Comics Grid, fez algumas considerações narrativas sobre a tira em quadrinhos Secret Agent X-9, de 1934. A importância disso não está na EXPRESSÃO DELATORA, mas no pedigree dos artistas envolvidos: Alex Raymond [+] e Dashiell Hammett, esse antes da fama.

Pra começo de conversa, Labarre destaca o realismo simplificado do traço de Raymond, atulhado de trabalho na época da publicação da tira [era publicada juntamente com Flash Gordon], e a existência de um CONTRASTE entre a dedicação prestada aos cenários [que são icônicos] e os personagens [mais realistas].

A limitação, que em Secret Agent X-9 Labarre descreve como incômoda [chega a compará-la com as imagens projetadas a uma tela no fundo de um carro, nos filmes antigos, para dar sensação de movimento] foi utilizada, como o próprio explica, como RECURSO por Daniel Clowes [+] em Ghost World: "Clowes usa isso de forma ainda mais forçada ao frequentemente ampliar a simplificação icônica ao corpo do personagem, enquanto que o rosto dos personagens é completamente retratado". O exemplo:



                  

Nenhum comentário: