THOR: GOD OF THUNDER, DE JASON AARON E ESAD RIBIC: SUPER-HERÓI PAGÃO

[NFN DIÁRIO #236]                                        * * *                                                [21/5/2013]

Nemanja Protic, do Sequart, resenhou Thor: God of Thunder [+], de Jason Aaron [+] e Esad Ribic [+] [e, incidentalmente, Butch Guice [+]], pelo ângulo religioso-metafísico:

Criado por Jack Kirby [+] e Stan Lee [+] em 1962, a origem de Thor começou do jeito típico da Marvel: o "médico manco Don Blake estava de férias na Escandinávia e encontrou uma bengala que, quando batida no chão, se transformava no martelo das lendas -- e transformava a Blake no titã cabeludo de capacete alado, com o poder de controlar o clima, e inglês rebuscado". No início, então, vários dos traços característicos da Marvel estavam lá: Blake é um homem comum e um cientista/intelectual; ele é, de alguma forma, física ou emocionalmente, mutilado; sofre uma mudança acidental. Ao longo dos anos, no entanto, Thor foi "purificado” de suas marcas de nascimento da Marvel; ele agora é visto primariamente como o deus do Trovão, o filho de Odin, originário de Asgard e, portanto, apenas um visitante na Terra (isso é claramente marcado no recente filme de Thor, dirigido por Kenneth Branagh).

                  

Nenhum comentário: