“STAN LEE SABE QUE HISTÓRIAS FICAM MAIS INTERESSANTES SE O LEITOR ACHA QUE CONHECE O SEU NARRADOR”

[NFN DIÁRIO #236]                                        * * *                                                [21/5/2013]

Taí um negócio que faz tempo que não aparecia: uma resenha de Marvel Comics: The Untold Story [+], o livro de Sean Howe [+]. É um texto meio desconjuntado, escrito por Paul Morton, do The Millions, que tem uma boa introdução:

Stan Lee, sabendo bem que as histórias são mais interessantes se você acha que conhece o narrador, capitalizou essa qualidade. Na sua coluna mensal, ele cultivou a sua imagem de cara que, no Dia de Ação de Graças, fica confortável na mesa dos adultos ou das crianças, contando as mesmas piadas ruins para todo mundo. Ainda que levemente esquerdista, ele evitava o debate político. Ele conseguia ser irônico. Quando, na décima edição de The Fantastic Four, o Dr. Destino retornou para Manhattan para enfrentar os seus arqui-inimigos, ele primeiro parou nos escritórios da Marvel para ameaçar Lee e Kirby. Isso é uma forma de dizer que Stan Lee se assegurou que você saberia tanto sobre ele e seus colegas quanto você precisa saber, mas não mais que isso.




                  

Nenhum comentário: