NEAL ADAMS: "OS PERSONAGENS DELE TEM A APARÊNCIA QUE AS PESSOAS SE A SUA APARÊNCIA FOSSEM ASSIM"

[NFN DIÁRIO #233]                                        * * *                                                [16/5/2013]

Lembra do cara que escreveu aquele artigo sobre os gibis de Steve Ditko [+] com cara de pornochanchada? O nome dele é Alex Buchet, e ele voltou, no próprio Hooded Utilitarian, para nos explicar Neal Adams [+] em termos TEATRAIS:

No teatro, existe uma diferença clara entre interpretar e sinalizar.

Sinalizar significa comunicar através de sinais convencionais de gestos e poses. Por exemplo, depois de uma cena em que foi rejeitado para um trabalho, um ator que sinaliza vai literalmente deixar seus ombros cair. Para mostrar raiva, ele vai enrugar a sua testa e empurrar para baixo os cantos de sua boca, enquanto cerra os punhos. Alegria: pulos e sorrisos. Luto: enterrar o rosto nas mãos, enxugar uma lágrima.

Todos os personagens de Adams são sinalizadores.

Mas tudo isso funciona. Acho que os quadrinhos são mais tolerantes com o exagero do que a maioria das formas de arte. Se esse exagero é necessário, é outro debate... cartunistas como Adams, Jaime Hernandez [+], Robert Crumb [+] e Jack Kirby [+] navegam entre o sutil e o estridente com um sentido confiante do que é adequado.

Nenhum comentário: