JORNADA NAS ESTRELAS: ALÉM DA ESCURIDÃO, DE J. J. ABRAMS: LENS FLARE A RODO

Jornada nas Estrelas: Além da EscuridãoJJ AbramsJornada nas Estrelas: Além da Escuridão

 [NFN 100MG #54]                                         * * *                                                  [28/5/2013]

J. J. Abrams [+]. Jornada das Estrelas: Além da Escuridão. Nerds do mundo, REGOZIJEM-SE com a atualização de hoje do NFN 100 MG.

Começamos com G.S. Perno, do Cine Linx, que aproveitou O ENSEJO da estréia do filme para analisar as características recorrentes da filmografia de Abrams.



Para surpresa de absolutamente ninguém, a primeira delas é lens flare, também conhecido pelo nome menos glamoroso de REFLEXO DE FLASH:

Lens flare em Jornada nas Estrelas: Além da Escuridão
OFUSQUE-SE.
[fonte]
A marca visual mais óbvia de J. J. Abrams é o lens flare. Até agora, lens flare era visto como uma falha. Abrams fez dela uma marca estilística, mas também é algo que ele usa para influenciar a perspectiva da audiência. A técnica da lens flare não é normalmente usada durante o filme, mas, tipicamente, apenas quando a ação começa. Quando há algo mais emotivo ou sombrio acontecendo, a imagem é mais suave e as luzes, mais nebulosas.

Sobre o filme propriamente dito. [ATUALIZADO] Primeiro, nós temos esse vídeo do impagável RedLetterMedia, listando todas as referências de Jornadas nas Estrelas: Além da Escuridão.


[/ATUALIZADO] Além disso, o que nós temos é RESENHISMO. Em ORDEM DE CREDIBILIDADE NÉRDICA, começamos com A. A. Dowd, do AV Club...

Tem uma cena em Jornada nas Estrelas: Além da Escuridão, o retorno de J. J. Abrams à fronteira final, que inclui o que só pode ser descrito como o novo clichê da produção de um blockbuster. Os mocinhos, o esquentado James T. Kirk (Chris Pine) e o seu incansável par lógico, Spock (Zachary Quinto), pegaram e prenderam o vilão, o estoico terrorista-semideus interpretado pelo impositivamente adequado ator britânico Benedict Cumberbatch. Ele está bem contido atrás de uma camada grossa de vidro. Então porque parece que os seus captores estão exatamente onde ele quer? Qualquer um que tenha visto Skyfall [+] ou Os Vingadores [+], O Cavaleiro das Trevas [+] ou Missão Impossível III, do próprio Abrams, vai reconhecer essa tática de manual para estabelecer a credibilidade do vilão (na verdade, isso provavelmente se remete a Hannibal Lecter, um vilão que nunca é tão ameaçador como quando está planejando em seu cativeiro). Que a cena ainda funcione bem é um atestado ao poder primitivo e arrepiante da interpretação de Cumberbatch. Pela primeira vez em anos, talvez em décadas, a equipe da Enterprise enfrenta um adversário de valor, embora no final ele se mostre uma ameaça mais física do que cerebral.

Jornada nas Estrelas: Além da Escuridão


Sim, a força física vence o cérebro de novo no universo alternativo de Jornada nas Estrelas de Abrams, onde as preocupações pesadas e filosóficas da série original de Gene Roddenberry se sentam atrás da pirotecnia cuidadosamente preparada. Ainda mais do que no seu reboot predecessor de 2009, Além da Escuridão é uma máquina construída para ser veloz, alimentada pela sua inflexível cacofonia digital e a personalidade saliente de seus astronautas briguentos (as astronautas, aliás, ainda não conseguiram fazer muita coisa, além de ficar bonitas nos lisonjeiros uniformes regulamentários). Essa Jornada é mais alta, mais rápida e mais forte do que a anterior, mas não é exatamente melhor. O ritmo veloz faz com que Além da Escuridão seja um entretenimento constantemente ágil, mas também obscurece o cuidadoso trabalho com os personagens que Abrams conseguiu durante a sua primeira aparição na cadeira do capitão.

...passamos para Richard Roeper, do Chicago Sun-Times...

E é claro, sendo essa a segunda parte da série cinematográfica de Jornada nas estrelas, que gerou tanta empolgação com o reboot de 2009, nós também temos efeitos visuais de última geração, alguns alienígenas incrivelmente estranhos, e pelo menos meia dúzia de referências a marcos dos filmes e série de televisão anteriores, e óculos 3D para o público que está inclinado a pagar o custo extra.

Meu conselho: como foi o caso de Homem de Ferro 3 [+], o 3-D de Jornada nas Estrelas: Além da Escuridão é, nos melhores momentos, 2 1/2 D, e você vai passar bem assistindo isso em um cinema velho e normal.

Um dos vários pontos forte de Jornada nas Estrelas: Além da Escuridão, que provavelmente não vai se tornar conhecido como STID porque isso parece muito com um acrônimo para algo que você não quer, é que ele funciona como um filme auto-contido. O diretor J. J. Abrams é um verdadeiro talento, e ele também é um erudito na cultura pop que tem muito respeito pelo legado da franquia, além de uma profunda compreensão da mega-importância dos números da bilheteria. Não existe aposta mais segura do que fazer o melhor, mais puro e mais acessível filme de Jornada das Estrelas de grande orçamento possível.

Jornada nas Estrelas: Além da Escuridão


...chegamos aos JORNALÕES com John Anderson, do Wall Street Journal,...

O novo Jornada nas Estrelas mistura travessuras com respeito, e um elenco de qualidade. Chris Pine faz do desregrado James Tiberius um lutador carismático, sempre disposto a quebrar uma regra. O Sr. Spock é interpretado, de forma muito feliz, por um Zachary Quinto secamente engraçado. Zoe Saldana é uma Uhura ardentemente profissional. Uma recém-chegada ao elenco é Alice Eve, como a oficial-cientista Carol Marcus, que provoca o ciúme do Sr. Spock e a libido de Kirk. Os outros são igualmente bem usados, e, enquanto a ação é frequentemente elétrica, são as relações que importam. Isso, e o respeito ao legado cultural.

...e ao mala A. O. Scott, do New York Times [críticos que assinam com duas iniciais: FULL CIRCLE!], de todas a mais negativa para ENCERRAR OS TRABALHOS:

A história sempre foi o elemento mais dispensável do universo de Jornada nas Estrelas, e o Sr. Abrams e os roteiristas (Roberto Orci, Alex Kurtzman e Damon Lindelof) honram mais a sua tradição quando eles tratam a Enterprise como uma colméia de personalidades e conexões voláteis. O romance difícil entre Spock e Uhura é complementado, e às vezes ofuscado, pelo bromance Spock-Kirk.



Jornada nas Estrelas: Além da Escuridão
Spock: muito mais do que um penteado feio

Nenhum comentário: