"E ENTÃO VOCÊ RESPONDE QUE, BOM, EU MEIO QUE GOSTO DE ROB LIEFELD" [PARTE 1]

[NFN DIÁRIO #239]                                        * * *                                                [28/5/2013]

Existe um mal que assola o coração do NERDISMO: é o ANTI-LIEFELDISMO. Execrado enquanto outros farsantes fanfarreiam pelo mundo [Whilce Portacio, estou falando de você], Rob Liefeld [+] se tornou uma espécie de piada pronta do mercado dos quadrinhos: não que ele não mereça CERTO DEBOCHE, mas o homem que ajudou a definir a linguagem visual dos quadrinhos por UMA DÉCADA [o que deve ter acontecido com base em algum mérito] não pode ser tratado exclusivamente com base em risadas de escárnio e críticas redundantes [quantas vezes você viu a anatomia de seus personagens ser criticada por fãs de um gênero em que a desproporção anatômica é uma característica?].

Tinha planejado fazer um ARTIGO DESABAFO sobre o tema, mas Sarah Horrocks, no seu próprio blogue, fez o mesmo DIAGNÓSTICO e passou a escrever uma série de artigos sobre O HOMEM, O MITO:

A gênese disso provavelmente está no mesmo lugar do qual vêm muitos dos artigos pró-Liefeld. Você está conversando com alguém sobre gibis. As coisas estão indo bem. De alguma forma, o assunto Rob Liefeld surge, e te dizem como ele é o pior desenhista de todos os tempos, uma piada completa, e um milhão de outras referências batidas, vindo diretamente do coração do fanboy. E então você responde que, bom, eu meio que gosto de Rob Liefeld. É, eu sei. Bizarro. Não é como se o cara tivesse sido o quadrinista mais popular da sua época. 

                  

Nenhum comentário: