LISTA DE FÃS DE KRAZY KAT, DE GEORGE HERRIMAN, NOS ANOS 20: PABLO PICASSO, CHARLIE CHAPLIN, F. SCOTT FITZGERALD, H. L. MENCKEN E WOODROW WILSON. E TU AÍ, TE ACHANDO.


[NFN DIÁRIO #205]                                        * * *                                                [5/4/2013]

É muita EXCELÊNCIA: Stefan Kanfer [que escreveu Though with a Gun, biografia de Humphrey Bogart e ocupa a posição de LEITOR DE QUADRINHOS do City Journal] publicou um artigo sobre Krazy Kat [+], de George Herriman [+]

O texto é longo e passa pela vida de Herriman [meio MACHADIANA, nasceu "criole", morreu "caucasian"]. Fico por aqui com o que é relativo à tira propriamente dita: prepare-se para uma pá de elogios.

Dado o formato de uma piada só da tira e o excesso de trocadilhos, Krazy Kat deveria ter uma vida efêmera. Mas Herriman tinha três ativos extraordinários: maestria nos cenários, um ouvido aguçado para dialetos, e um sentido incomum para a farsa. Krazy Kat transcorre em um lugar chamado Coconino County, um lugar de verdade no Arizona e um lugar surreal na mente do artista. Rochas salientes, cactos cumpridos, solo vulcânico duro e cores brilhantes (aos domingos) sugeriam o Painted Desert e Monument Valley. Também sugeriam o cenário austero e ameaçador de The Waste Land, de T. S. Eliot.

Abril é o mais cruel dos meses, germina...


Nenhum comentário: