JOE KELLY, SOBRE TRABALHAR EM X-MEN: “NÃO TÍNHAMOS LIBERDADE CRIATIVA NENHUMA”


[NFN DIÁRIO #205]                                        * * *                                                [5/4/2013]

Rich Johnston, o homem por trás do Bleeding Cool, publicou um artigo de Joe Kelly, de 1999, sobre os motivos que o levaram a largar os roteiros de X-Men na época. Kelly tinha assumido a série logo depois de sua bem-sucedida fase em Deadpool [que basicamente definiu o personagem da forma que o entendemos hoje], em uma reformulação dos TÍTULOS MUTANTES que também colocou Steven T. Seagle [vindo da Vertigo com algumas nomeações aos Eisner de baixo do braço] nos roteiros de Uncanny X-Men. 

Nada disso, no entanto, garantiu a confiança dos editores [Bob Harras [+], nós estamos falando de você]. Vou para os trechos que falam de histórias específicas e que sobre elas jogam LUZES INTERPRETATIVAS:

A gota que transbordou o copo foi quando chegou a hora da história 'O Resgate do Professor Xavier'. Nós trabalhamos pesado nela e de novo não era o que eles queriam, e nós tivemos problemas. Quando chegamos a algo em que todos podíamos concordar, era hora do novo grande crossover, que era esse arco do Magneto, e basicamente nos chamaram lá e nos disseram que a editoria ia escrever as linhas gerais da história para nós e que nós íamos apenas executá-la nas séries.

Nenhum comentário: