CONSTANTINE #1, DE JEFF LEMIRE E RENATO GUEDES: “NÃO INSPIRA MUITA CONFIANÇA”


[NFN DIÁRIO #203]                                        * * *                                                [3/4/2013]

Mais uma resenha de Constantine [+] #1, a série do nosso amigo John integrado ao Universo DC "normal", escrita por Jeff Lemire [+] e desenhada por Renato Guedes [+]. Agora é na Paste Magazine, LAVRADA por Garret Martin. O resumo técnico seria: NADA BOM.

Constantine #1 não inspira muita esperança, no entanto. No início, o personagem título parece a sua versão parecida com o Sting, elegantemente amarrotada e confiante de uma forma que se supõe encantadora. O seu diálogo parece vazio, no entanto, e é mais parecido com piadas para a TV do que as idéias ligeiramente mais naturais e as conversas encontradas em Hellblazer. É, ele ainda é um babaca oportunista com sentimentos legítimos de culpa, mas a sua traição (ahn, spoiler) não significa nada porque a pessoa que ele trai não significa nada. O McGuffin místico, a missão de busca, os magos-vilões-fantasiados-de-supervilões podem confortar os fãs das capas do Novos 52 que esse relançamento tem por público-alvo, mas é um desperdício do que é talvez o personagem com mais substância (apesar das duas décadas e meias de bobagens mágicas absurdas) e semi-realista que a empresa tem. Mas, ei, talvez nos deem em troca magia sarcástica vs. ciência estúpida entre o Eléktron e um Constantine de ressaca enquanto eles detonam com algum nanoshaman primitivo.

Nenhum comentário: