BUILDING STORIES, DE CHRIS WARE: “MEIO QUE ESPERO QUE O SEU PRÓXIMO TRABALHO CHEGUE COMO UM QUEBRA-CABEÇA QUE, UMA VEZ COMPLETADO, SE ESTENDA PELO CHÃO COMO UMA ÚNICA 'PÁGINA' GIGANTESCA”

[NFN DIÁRIO #213]                                        * * *                                                [17/4/2013]

Bob Levin, no Comics Journal, resenhou Building Stories [+], a caixa-gibi-sucesso-de-crítica de Chris Ware [+].

A obra é um amalgama de quebra-cabeças, e o maior deles é tentar determinar o que está acontecendo, ou o que aconteceu, e quando. O tempo é fluído para Ware, e ele usa o meio dos quadrinhos para demonstrar isso de forma maestra. O tempo pode mudar de quadrinho para quadrinho, quanto mais de página para página. Décadas colapsam na largura de uma linha de contorno de um quadrinho. O momento existente se dissolve no sonho ou na memória. Você tem que prestar atenção no tamanho, cor de cabelo, cor da roupa do personagem. Você tem que procurar calendários e sinais nos prédios. Você tem que reconhecer que "Sr. Kitty" não é "Senhorita Kitty". Você pode pensar que entendeu o aqui e agora, apenas para rapidamente se dar conta de que isso foi um erro.

                  

Nenhum comentário: