EVERYBODY LOVES TANK GIRL, DE JIM MAHFOOD E ALAN C. MARTIN: UMA NOVA TANK GIRL

[NFN DIÁRIO #199]                                        * * *                                                [27/3/2013]

Sarah Horrocks, no Comics Alliance, resenhou Everybody Loves Tank Girl, de Jim Mahfood e Alan C. Martin. Vale em primeiro lugar pela descrição dos novos rumos da personagem, ainda que você tenha que deduzi-lo do meio do apego ao RIOTGRRRLsismo de Horrocks. Se você preferir uma abordagem mais CÁUSTICA ao personagem, VASCULHE O PASSADO.

Antes de começar a falar das coisas de forma detida, vamos desvendar o termo "novo da Tank Girl", porque isso está rapidamente se tornando não apenas uma referência à passagem do tempo, mas um termo que agora abarca as mudanças no que o personagem significa e como ela foi usada por Martin nos últimos 10 ou 20 anos. Quando nós vimos a Tank Girl pela primeira vez, lá nos anos 80, ela era uma lunática proto riot grrl versão Perna Longa, cujo aspecto grotesco, garantido por Jamie Hewlett [+], permitiu que ela desafiasse muitos dos estereótipos do que as mulheres poderiam ser em uma hq. Aquelas primeiras hqs de Hewlett-Martin malucas e desequilibradas, poesia existencial de sarjeta, que parecia que eles poderiam a qualquer momento virar em qualquer direção. Tão poderosa era essa criação que Hollywood aproveitou o personagem em uma versão estranha e brega vagamente relacionada à versão original.

                  

Nenhum comentário: