BATMAN, O CAVALEIRO DAS TREVAS, DE FRANK MILLER: POLÍPTICO


[NFN DIÁRIO #198]                                        * * *                                                [26/3/2013]

Duy Tano, do Comics Cube, escreveu um CURTO e EFETIVO artigo sobre o uso narrativo de janelas e portas como quadrinhos de uma hq. 

Os exemplos passam por Batman: O Cavaleiro das Trevas [+] [o próprio, de Frank Miller [+]], na página que ILUSTRA a postagem e está aí do lado [trecho que tem a vantagem de ser EDUCATIVO: aposto que tu vai procurar no Google o que é políptico]:

Em um determinado momento  quando Batman está lembrando de sua origem, ele derruba uma estátua. As janelas tem a mesma forma, tamanho e colocação que oito quadrinhos de tamanho regular, o que pega esse momento, Bruce derrubando a estátua, e meio que o divide no espaço de tempo que oito painéis representam, a pesar o fato de que seja apenas um desenho. É quase um políptico nesse sentido.

Nenhum comentário: