VIVA SPIDER-MAN!


[WWB #27]                                                        * * *                                                   [14/2/2013]

Já que começamos o dia falando de DESGRACEIRAS CINEMATOGRÁFICAS, nada como um FÃ-FILME para encerrá-lo de forma SIMÉTRICA [chora, Alan Moore!]. 

Viva Spider-Man é um fan-film de 1989 [tempos difíceis] de 13 minutos, dirigido e protagonizado por James Krieg. Nele, Peter Parker decide entrar no time de basquete da escola para impressionar uma garota [em detrimento de uma cruza do Flash Thompson com o Harry Osborn] e acaba lutando contra O REI DO CRIME: a relação entre os fatos deve ser que tudo parece é um pesadelo alguém que entrou em coma logo depois de assistir um episódio da série animada do AMIGÃO DA VIZINHANÇA do final da década de 60 [aquela que gerou todos aqueles MEMES].

É uma conclusão não confirmada pelo filme, mas a única lógica: imagens ficam rodando em LOOPING no fundo do cenário e os personagens caminham como se tivessem recebido instruções precisas de copiar o jeito do INSPETOR BUGIGANGA. Talvez o Homem-Aranha devesse prestar atenção no J. J. Jamenson: o cara é, evidentemente, o Hitler. Só que velho, depois de um derrame, e falando com uma VOZ QUE VEM DO ALÉM [uma óbvia tentativa de misturar-se com a multidão, porque todo mundo no filme fala assim].

Apesar de sua evidente tosquice, o filme consegue ter uma certa qualidade EXPRESSINISTA: pense em uma mistura de SIN CITY e o seriado do Batman dos anos 60, feita com baixo orçamento, uma paleta de cores digna dos anos 80, e atores que foram alimentados exclusivamente com álcool não destilado.

Krieg até desenvolveu UMA CARREIRA na INDÚSTRIA: só Deus sabe como, e provavelmente só Ele poderá perdoá-lo. Os atores provavelmente acordaram em uma banheira cheia de gelo sem um rim.

Nenhum comentário: