JONAS FINK, DE VITTORIO GIARDINO: UMA MISTURA DE JIRO TANIGUCHI COM JOHN LE CARRÉ E HERGÉ

[NFN DIÁRIO #183]                                        * * *                                                [27/2/2013]

Javier Agrafojo, do Zona Negativa, resenhou a trilogia Jonas Fink, história de um jovem judeu na Praga da década de 50, obra do italiano Vittorio Giardino, uma espécie de John le Carré pela via de Hergé [+].

Qualquer um que abra aleatoriamente um álbum assinado por Giardino pode apreciar a inegável qualidade gráfica do autor italiano. Com certa facilidade ele pode ser acusado, no entanto, de excessivamente trabalhado, se as páginas não são lidas. Porque por mais assombrosa que seja a sua capacidade como ilustrador, é a sua perícia como quadrinista que nos conquista definitivamente. A prova disso é que, em poucos quadrinhos, não nos concentramos nos desenhos, mas na história contada. Giardino, como Taniguchi [+], faz com que o cotidiano seja apaixonante, demonstrando que a autêntica proeza se encontra na escala do humano, e não no nível mítico.

Nenhum comentário: