IDEM PARIS, NOVO CURTA DE DAVID LYNCH


[WWB #27]                                                        * * *                                                   [21/2/2013]

David Lynch, que não lança um longa-metragem desde Império dos Sonhos em 2006, abandonou o mundo das PANTUFAS para fazer um CURTA: Idem Paris, sobre a gráfica/estúdio de arte parisiense do mesmo nome, em funcionamento desde 1880 e que já imprimiu litografias de Picasso, Miró, Matisse e do próprio Lynch.

O curta, que tem 7 minutos, é em um preto e branco bastante contrastado, sem qualquer tipo de diálogo ou narrativa: os sons se resumem ao de funcionamento das máquinas do lugar. Isso autorizou ao POVO DA INTERNET a se referir ao filme como um retorno às origens: preto e branco, sons mecânicos, Homem Elefante e Eraserhead é a lógica do raciocínio. Nas palavras do próprio Lynch, que parece estar se esforçando para parecer um lunático:

Hervé Chandès da Fundação Cartier me levou ao Idem e me apresentou a Patrice Forest. Eu vejo esse lugar incrível, e tenho a oportunidade de trabalhar lá. E foi como um sonho! Simplesmente abriu esse mundo novo da litografia e a mágica da litografia, a mágica das pedras. E foi uma coisa muito, muito boa! Essa coisa da litografia, esse canal da litografia aberto e um monte de ideias fluíram dele e isso levou a centenas de litografias. Vou dizer que a gráfica Idem tem um ambiente especial e único, que conduz à criação. Patrice tem a melhor das posturas para todos os artistas e cria esse espaço de liberdade e essa alegria por criar. É tão bonito! E eu acho que o lugar é muito importante: em outras palavras, a mesma pedra poderia ir parar em um lugar diferente, e acho que o trabalho produzido seria diferente. É uma combinação da pedra, do lugar, das pessoas, do ambiente, e disso saem certas ideias.

Nenhum comentário: