BERLIN, DE JASON LUTES: “MAIS PODEROSA DO QUE OS PERSONAGENS É A RECRIAÇÃO COM TINTA QUE LUTES FAZ DA CIDADE”

[NFN DIÁRIO #168]                                        * * *                                                [1/2/2013]

Kailyn Kent analisou, para o The Hooded Utilitarian, o primeiro volume de Berlin: City of Stones, obra de Jason Lutes a, o que, vinte anos em processo de conclusão?

Não sei se concordo exatamente com a sua crítica [nos comentários, alguém já fez o favor de meta-criticá-la], mas o texto tem o seu valor DESCRITIVO.
Mais poderosa do que os personagens é a recriação com tinta que Lutes faz da cidade. Quando as pessoas caminham, elas através da cidade, quadra por quadra. As figuras dificilmente são mostradas fora do seu ambiente, retratado com notável especificidade e cuidado. Lutes faz valer a afirmação dos personagens de que a cidade os envolve; frequentemente, desenha o plano de fundo e o cenário com uma linha do mesmo peso, o que parece uma decisão deliberada.



                  

Nenhum comentário: