TIRAS EM QUADRINHOS 2.0

[NFN DIÁRIO #147]                                       * * *                                               [3/1/2013]

A Economist publicou um artigo sobre a nova geração de cartunistas nascidos e criados na Internet -- gente como Ryan North, do Dinosaur Comics, Randall Munroe, de XKCD e Kate Beaton, de Hark, A Vagrant.

Um pedaço do início e outro do fim:

EM 1989, Bill Watterson [[+]na foto à direita], o escritor de “Calvin e Hobbes”, uma brilhante tira em quadrinhos sobre um garoto de seis anos e o seu tigre de pelúcia, denunciou a sua indústria. Em uma palestra escaldante, atacou os quadrinhos previsíveis e sem graça, massificados por sindicatos com fins lucrativos. Cartuns, disse o Sr. Watterson, "nunca serão mais do que uma mercadoria barata e burra até que sejam publicados de forma diferente".

Em 2012, ele finalmente está recebendo o que pediu. Enquanto a indústria dos jornais impressos continua a sua queda, as páginas de quadrinhos se desassociaram da impressão. Em vez de trabalhar com sindicatos gigantescos, ou para jornais censuradores com editores medrosos, cartunistas agora são livres para criar o que eles quiserem. Quer seja uma sátira afiada sobre a política chinesa ou uma simples piada sobre ser um cachorro, tudo pode ganhar um público cativo na Internet.

Dito de forma mais GRÁFICA.
[...] Esse novo mundo, no qual o humor se espalha de forma instantânea e global, ameaça os quadrinistas da web ao mesmo tempo que os liberta. Cartuns podem ser divulgados pela rede sem créditos aos seus criadores; ladrões de copyright podem vender merchandising sem licença. Cartunistas precisam ser empreendedores, além de artistas. Quadrinhos online podem ser lucrativos, mas, ao contrário do trabalho para um sindicato, raramente podem prover um trabalho estável. "Ninguém se aposentou fazendo isso ainda", salientou o Sr. Beaton. E a competição estão mais acirrada. Agora, todo mundo pode ser um cartunista, e quase todo mundo é. Comunidades online como 4Chan, SomethingAwful e Reddit  prosperam com piadas, muitas vezes apenas imagens com uma legenda, cujo upload é feito pelos usuários. Novos cartunistas, ainda que bons, podem enfrentar dificuldades para conseguir atenção, fora ganhar a sua vida. 

Mas também, como Bill Watterson apontou, dinheiro e estabilidade, combinados com competição insuficiente, estrangularam as tiras em quadrinhos. Enfrentando problemas com seu próprio próprio sindicato, e  não querendo que "Calvin e Hobbes" se tornasse obsoleto, ele largou a sua tira em 1995 e retirou-se para as florestas de Ohio para pintar paisagens. O mundo no qual ele prosperou está desaparecendo. A revolução que ele queria está acontecendo.

Nenhum comentário: